O anúncio do Evangelho no mundo contemporâneo

01/05/2010 19:01

 

Escutai: O semeador saiu a semear. Enquanto semeava, uma parte da semente caiu à beira do caminho e vieram as aves e comeram-na. Outra parte caiu em terreno pedregoso, onde não havia muita terra e logo brotou por não ter profundidade de terra; mas, quando o sol se ergueu, foi queimada e, por não ter raiz, secou. Outra caiu entre espinhos e os espinhos cresceram, sufocaram-na e não deu fruto. Outra caiu em terra boa e, crescendo e vicejando, deu fruto e produziu a trinta, a sessenta e a cem por um (Mc 4, 3-8).

 

O semeador saiu a semear (Mc 4, 3)

Esta parábola é fonte inspiradora para a evangelização. A semente é a Palavra de Deus (Lc 8, 11). O semeador é Jesus Cristo. Ele anunciou o Evangelho na Palestina há dois mil anos e enviou os seus discípulos a semeá-lo por todo o mundo. Hoje Jesus Cristo, presente na Igreja por meio do Seu Espírito, continua a semear a Palavra do Pai no campo do mundo.

A qualidade do terreno é sempre muito variada. O Evangelho cai à beira do caminho (Mc 4, 4), quando não é realmente escutado; cai em terreno pedregoso (Mc 4, 5), sem penetrar profundamente na terra; ou entre espinhos (Mc 4, 7) e é imediatamente sufocado no coração das pessoas, distraídas com muitas preocupações. Mas uma parte cai em terra boa (Mc 4, 8), isto é, em homens e mulheres abertos à relação pessoal com Deus e solidários com o próximo, e produz frutos abundantes.

Jesus, na parábola, comunica a boa notícia de que o Reino de Deus chega até nós apesar das dificuldades do terreno, das tensões, dos conflitos e dos problemas do mundo. A semente do Evangelho fecunda a história da humanidade e preanuncia uma colheita abundante. Mas Jesus faz também uma advertência: a Palavra de Deus germina somente num coração bem preparado.

Directório Geral da Catequese