A catequese que queremos

09/05/2010 16:16

O que é a Catequese?

a) Conhecer e amar a Deus

 

Deus, num desígnio de pura bondade, criou livremente o homem para o tornar participante da Sua vida bem-aventurada. Ele está sempre e em toda a parte próximo do homem. Chama-o e ajuda-o a procurá-lo, a conhecê-lo e a amá-lo. Convoca todos os homens, dispersos pelo pecado, para a unidade da Sua família que é a Igreja, mediante o Seu Filho que Ele enviou como Redentor e Salvador. N`Ele e por Ele, chama os homens a tornarem-se, no Espírito Santo, Seus Filhos de adopção, herdeiros da Sua vida bem-aventurada.

Cristo enviou os apóstolos que escolhera, dando-lhes o mandamento de anunciar o Evangelho. "Ide..." (Mt 28, 19-20) e (Mc 16,20).

Os apóstolos, pressionados pelo amor foram anunciar por toda a parte a Boa Nova. Este tesouro recebido dos apóstolos foi fielmente guardado pelos seus sucessores. Todos os fiéis de Cristo são chamados a transmiti-lo de geração em geração, anunciando a fé, vivendo-a em partilha fraterna e celebrando-a na liturgia e na oração.

 

b) Transmitir a Fé - A Catequese

 

Bem cedo se chamou Catequese ao conjunto de esforços empreendidos pela Igreja para fazer discípulos, para ajudar os homens e acreditar que Jesus é o Filho de Deus, a fim de, pela fé, terem a vida em seu nome, e para os educar e instruir nessa vida, construindo assim o Corpo de Cristo.

"A Catequese é uma educação da fé das crianças, dos jovens e dos adultos, que compreende especialmente o ensino da Doutrina Cristã, ministrada em geral de um modo orgânico e sistemático, em ordem à iniciação na plenitude da vida Cristã."

"A Catequese está intimamente ligada a toda a Igreja. Dependem não só dela a expansão geográfica e o crescimento numérico, mas também e muito mais ainda, o crescimento interior da Igreja e a sua conformidade com o desídnio de Deus."

"A finalidade própria da Catequese é o amadurecimento da fé inicial e a educação do verdadeiro discípulo de Jesus Cristo".

(Exortação Apostólica Cateclesi Tradendae de Paulo VI, 13, 18, 19)

 

c) Na Prática Pastoral verificam-se diferentes maneiras de entender a Catequese:

Catequese Dogmática - Entendido como ensino de fórmulas doutrinais, dando pouco relevo à Bíblia e à vida real das pessoas (memorização de conhecimentos, como por exemplo, no catecismo de S.Pio X).

Catequese Kerigmática - Preocupada em transmitir o Kérigma, isto é, o anúncio de Jesus Cristo, inserido na história da Salvação e na vida da Igreja. É a Catequese proposta nos Catecismos em uso. Às vezes deixa no esquecimento a Doutrina do Magistério (as fórmulas dogmáticas) que a anterior realçava.

Catequese Antropológica - Procura dar atenção às experiências mais significativas das pessoas e iluminá-las com a mensagem Bíblica. Chama-se também "Catequese da esperiência". Se tiver apenas a preocupação de responder às experiências da vida, corre o risco de omitir o ensino global da mensagem cristã, e assim não será verdadeira Catequese.

 

Concluímos portanto que a Catequese deve ser global, isto é:

- transmitir o conteúdo da Fé, a partir da Sagrada Escritura (Kerigmática) e das principais Fórmulas Doutrinais do Magistério (Dogmática);

- Corresponder às experiências de vida e despertar a conversão (vital);

- Educar na participação activa e esclarecida na Liturgia e na vida da Igreja.

 

d) A Catequese deve seguir a pedagogia Catecumenal

 

Sendo a Catequese amadurecimento da Fé, convém ter muito presente o que é a Fé Cristã.

A Fé engloba três níveis:

1 - Mistério de Confiança, ou seja, adesão à pessoa de Jesus Cristo. Confiar em Jesus Cristo que tem por cada um de nós um Amor pessoal. Como diz S. Paulo: "Vivo na Fé do Filho de Deus que amou e se entregou por mim" (Gal 2, 20)

Descobrir em Jesus Cristo um amigo.

 

2 - Dinâmica do Conhecimento. A Fé é acreditar na Palavra do Mestre, na Sua doutrina e implica a aceitação sincera de todo o conteúdo da revelação, que a Igreja, desde os tempos apostólicos, sintetizou no Credo.

 

3 - Compromisso de vida - Ter fé não é apenas confiar em Deus e recorrer a Ele nas dificuldades. Não basta conhecer a verdadeira doutrina. É necessário que esta confiança e este conhecimento se realizem na vida do dia a dia, pela prática do Amor a Deus e ao próximo.

 

Para levar a estes 3 níveis, a Catequese deve seguir a pedagogia Catecumenal, isto é, organizar-se como um processo de iniciação progressiva, com etapas definidas, dentro da Comunidade dos fiéis, conduzindo aos seguintes frutos:

                - Conhecimento da Sagrada Escritura e da tradição da Igreja.

                - Educação no comportamento moral (atitudes e estilo de Vida Cristã)

                - Participação activa e esclarecida nas celebrações liturgicas e na vida da Igreja.

 

e) A Catequese deve realizar-se articuladamente com as outras acções da Igreja

 

A missão  da Igreja continua a missão de Jesus Cristo, de anunciar e comunicar aos homens a Salvação.

No desempenho desta missão, distinguem-se tradicionalmente a função profética (anúncio da Palavra de Deus), a função liturgica e a função caritativa. Estas 3 funções estão profundamente interligadas, pois mutuamente se preparam, se completam e se articulam.

 

f) Segundo o Sínodo de 1977 a Catequese parte da Comunidade Cristã, processa-se na Comunidade e tem como meta a Comunidade.

Toda a Comunidade deve sentir-se responsável pela Catequese, embora cada um tenha uma responsabilidade diferente, conforme o lugar que ocupa na Comunidade.

A responsabilidade principal compete, na Comunidade local, ao Pároco. Depois cabe aos pais uma responsabilidade muito importante. São estes que devem ser os primeiros e principais educadores da fé dos filhos, procurando que o seu lar seja a "Igreja Doméstica" onde a educação Cristã penetra pelo exemplo e pela palavra.

Dos Catequistas depende bastante a vitalidade da Comunidade Cristã, pela sua dedicação e preparação.

 

g) A Catequese deve despertar a alegria de ser Cristão num mundo difícil

 

Nesta sociedade tão cheia de incertezas, egoísmo, empobrecida pela prespectiva materialista, a Catequese representa uma Boa Nova. Constitui um "grande tesouro", que contribui para o enriquecimento do homem e da sociedade.

A Catequese deve proporcionar alegria e conduzir à esperança. A dimensão da alegria e da esperança é fundamental no Cristianismo. A alegria é um dos primeiros frutos da fé: "escrevemo-vos estas coisas para que a vossa alegria seja completa" (I Jo 1,4)

 

h) A renovação da Catequese depende da renovação dos Catequistas

 

Os Catequistas não se podem limitar a ensinar o Catecismo, mas devem partir da sua própria experiência de vida Cristã e do compromisso com a Comunidade. Assim, a formação de Catequistas é fundamental para renovar a Catequese.

Bibliografia:

Directório Geral da Catequese (1971)

Evangelii Muntiandi 1975

Sínodo dos Bispos (1977)

Catecismo da Igreja Católica (1993)